terça-feira , setembro 26 2017
Últimas Notícias

Secretaria de Educação se recusa a tirar das escolas livros didáticos que, segundo pais de alunos, fazem apologia ao Diabo

livro-didático-diabo

O conteúdo de alguns dos livros didáticos utilizados por crianças com idade a partir de seis anos na rede municipal de ensino da Taubaté (SP) tem causado polêmica e preocupado os pais de várias crianças. De acordo com as mães dos alunos, quatro dessas obras apresentam um conteúdo impróprio para as crianças, sendo que uma delas estaria, segundo as mães, fazendo apologia ao diabo.

O livro “ABC Doido” é o principal alvo das críticas. Nele, a letra T é associada ao tridente, em uma página que também mostra figuras que seriam de “demônios” em um diálogo ensinando que a letra T não é a da cruz.

Outra das obras criticadas, intitulada “Terríveis Romanos”, ensina à criança um passo a passo de como analisar as vísceras de animais para se tornar um “vidente” Em um de seus trechos, o livro explica: “É provável que sua mãe não ache graça em você estripando um animal dentro de casa. Se for o caso, vá a um criadouro e compre um coelho inteiro para fazer a leitura”.

Diversos pais e mães de alunos afirmam que os livros adotados nas escolas, como os já mencionados, apresentam um conteúdo impróprio para o aprendizado das crianças e afirmam que eles podem as influenciar negativamente.

– É como se estivesse induzindo ele [aluno] a fazer algo. Eu estou ensinando ele o certo, para forjar o caráter dele para ele ser um homem de bem e, na escola, ele aprendendo outra coisa – Claudia David, mãe de um dos alunos que recebeu os livros.

– Eu li o livro que chegou para ela [filha] e vi que tinham umas palavras muito fortes – relatou a mãe de outra aluna.

O caso foi parar na Câmara Municipal da cidade, que convocou a secretária de Educação, Edna Chamon, para prestar esclarecimentos sobre os conteúdos dos livros.

Vamos perguntar para a secretária o porquê que ela colocou esses livros, que nós entendemos que é para uma idade maior, o porquê que foi colocado? – explicou o vereador Noilton Ramos, afirmando que, assim como os pais, não considera o material apropriado para as crianças.

Chamon será ouvida pelos vereadores na Câmara na próxima segunda-feira (17). Porém, ela defendeu o material adotado pelo município e adiantou que os livros não serão retirados das escolas, e que fazem parte de um programa de leitura aprovado pela equipe técnica da prefeitura. De acordo com a secretária, os livros utilizados pela rede municipal de ensino de Taubaté são referência e alguns deles, como o “ABC Doido”, são títulos premiados.

São materiais técnicos, dentro de uma proposta técnica, títulos inclusive comercializados em mais de 40 países – defende Edna Chamon.

Fonte: Gospel+

Deixe uma resposta

Scroll To Top